Associação Matogrossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas

.

Nas profundezas do psiquismo - Segredos ocultos de você mesmo

Conheça nossa loja virtual e adquira o seu livro.

segunda-feira, 28 de março de 2022

II Congresso Mato-grossense de Ufologia e Parapsicologia - 20 à 22 de MAIO 2022 - Barra do Garças /MT

Para aqueles que gostam de indagar sobre os mistérios que nos rodeiam, maravilhar-se pelos enigmas, caminhar perante as incógnitas da vida e seus segredos, com certeza vai se entusiasmar e aventurar-se com a realização do “II Congresso Mato-grossense de UFOLOGIA & PARAPSICOLOGIA – Barra do Garças” - datado para o dia 20 à 22 de maio de 2022. Uma realização da Secretaria de Turismo do Estado de Mato Grosso e da Secretaria de Turismo de Barra do Garças/MT, auxiliado pelo intermédio da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP), com o apoio da Revista UFO.

Para sediar esse grandioso evento, a cidade de Barra do Garças/MT não foi escolhida por acaso, pois, além da fama de “misteriosa”, a cidade abriga a famosa Serra do Roncador, além de ser internacionalmente conhecida pela original idéia de abrigar um aeroporto para disco voadores – o famoso “Discoporto” – projeto elaborado pelo ex-prefeito da cidade Valdon Varjão (in memoria). Uma ousadia que tempos depois seria imitado por outros prefeitos e outros países. Embora ressentido com as gozações que enfrentou, Varjão alcançou seu objetivo: “A idéia não era exatamente atrair disco voadores para Barra do Garças, mas sim turistas, e assim usar o potencial que a cidade tem nessa área”, ressaltou o ex-prefeito, num de seus desabafos.

Pelo motivo de Barra do Garças ser uma região repleta de relatos enigmáticos, não foi difícil associar e aproveitar os temas Ufologia e Parapsicologia num único lugar: nas proximidades da Serra do Roncador/MT.

A contribuição da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP) foi criteriosa ao selecionar um grupo de palestrantes altamente qualificados, de várias partes do Brasil e exterior. São todos respeitados e ativos pesquisadores sobre a temática Ufologia e/ou Parapsicologia, com anos de pesquisas cautelosas e, cada qual, com uma grade curricular excepcional.

Estudiosos de renome nacional e internacional, especialistas nos mistérios da mente humana e nos enigmas do universo, reúnem-se por 3 dias com pesquisadores e buscadores, num evento único, num lugar especial: Barra do Garças, o berço da enigmática Serra do Roncador e de conhecimentos milenares.



Conheça os palestrantes nacionais que confirmaram presença:


CURRÍCULO dos PALESTRANTES


Ademar José Gevaerd (PR) – criador e editor da Revista UFO, uma publicação genuinamente brasileira e a mais antiga publicação do gênero da historia mundial. É o mais respeitado pesquisador, a maior autoridade e referencia mundial sobre o assunto ufologia. Criou as extintas revistas: Ufologia Nacional e Internacional (1985 à 1986), Parapsicologia Hoje (1985 à 1986), PSI-UFO (1986 à 1987), Esotera (2001 à 2002), entre outras. Responsável pelo Grupo Editorial Paracientífico (GEP) que alicerçou inúmeras publicações temáticas. É presidente do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV), representante brasileiro no Center for UFO Studies (CUFOS), diretor da Mutual UFO Network (MUFON). Idealizador da campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”. Coordenou os trabalhos da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) para demandar junto à Força Aérea Brasileira (FAB) que abra seus arquivos secretos e admita a participação civil no processo de investigação do Fenômeno UFO em nosso país, dedicação que tem dado resultados. Gevaerd tem participação ativa praticamente em todos os círculos mundiais onde o tema fenômeno UFO é tratado com seriedade e é presença constante em documentários do History Channel, Discovery Channel e outros.


Ataide Ferreira da Silva Neto (MT) – psicólogo, escritor, conferencista, estudioso sobre as estranhezas e “incógnitas” da Mente Humana, ênfase nos mistérios do psiquismo/parapsicologia, sócio fundador e presidente da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP) oriunda da antiga Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Parapsicológicas, criada em 1996, sendo esta associação sem fins lucrativos destinados a pesquisas sobre os “mistérios” da mente humana e os “enigmas” do universo. Conhecedor das casuísticas ufológicas e parapsicológicas do estado mato-grossense, pesquisador da influência da Ufologia no contexto psicológico humano dirigindo seus estudos para as áreas do psiquismo, é consultor da Revista UFO e membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU). Autor de diversos artigos em revistas e jornais com temas relacionados à psique humana, parapsicologia e ufologia, entre elas: “Os Mistérios da Mente Humana” (Revista ACTImídia, n.º 27, 2007) “Mistérios da Serra do Roncador” (Revista UFO, n.º 102, 2004), “A influencia da Ufologia no Psiquismo” (Revista UFO, n.º 120, 2006; e na Revista SINA, n.º 07, 2007), “Seriam apenas Mitos e Lendas?” (Revista UFO, n.º 207, 2014), entre outras diversas matérias do gênero. É o idealizador desde a primeira edição do “Congresso de Ufologia e Parapsicologia do Vale do Araguaia” em Barra do Garças/MT, sempre com o alicerce da organização local. Realiza conferências nacionais em assuntos relacionados à Psicologia, Estranhezas Psíquicas, Psicologia Organizacional, Atendimento, Motivação, Neurolingüística, Parapsicologia e assuntos congêneres. Participou como conferencista de inúmeros congressos brasileiros. Autor do Livro “Nas Profundezas do Psiquismo: segredos ocultos de você mesmo” [Editora KCM].


Fred Morsch (RS) – trabalha há mais de 30 anos com audiovisual, produziu centenas de filmes para publicidade e contribuiu em vários projetos para o cinema. Criou, produziu e apresentou a série para o canal History, “De Carona com os Óvnis”, doc/factual de 13 eps de 22 min, que ganhou o prêmio de melhor série documental brasileira de 2018 no Rio 2C e foi indicada na mesma categoria no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Se tornou um investigador e pesquisador de fenômenos anômalos (ufologia, criptozoologia, espiritismo e fenômenos paranormais). Atualmente profere palestras sobre o assunto e desenvolve novos projetos audiovisuais e eventos temáticos.


Gledson Borges (MT) – Militar, Psicólogo, entusiasta e dedicado pesquisador aos assuntos relativos á parapsicologia, investigador da ufologia científica há mais de 15 anos, pesquisador com ênfase na vertente ufo-arqueológica, apaixonado por assuntos envolto aos “mistérios” da mente humana e os “enigmas” do universo, experiente e ativo investigador de campo, conhecedor das casuísticas Ufológicas e Parapsicológicas do estado de Mato Grosso, Coordenador de Pesquisa de Campo da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP), membro da AMPUP desde 2005.


Rony Vernet Braga (RJ) – Engenheiro Eletrônico e de Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com Especialização In Company em Automação Industrial pela Universidade Petrobras e Pós-Graduação Lato Sensu em Sistemas de Telecomunicações pela Escola Superior Aberta do Brasil. Atualmente é Mestrando em Física pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas; ...no âmbito ufológico, é um pesquisador minucioso, especializando-se na investigação de ocorrências estranhas acontecidos em Tribos Indígenas, se destacou no cenário Ufológico graças ao seu empenho insistente em conseguir, no ano de 2020, via Lei de Acesso à Informação, mais de 100 páginas de documentos oficiais e 20 minutos de vídeos envolvendo investigação do Governo sobre OVNIs em tribos indígenas do Acre, acontecimentos esses documentados entre os anos de 2014 e 2015. Atualmente, o referido pesquisador coordena o Projeto Vigília, tratando-se de um eficiente sistema de instalação de instrumentação para coleta de dados desses fenômenos, utilizando câmeras, sensores e inteligência artificial, o qual, também, é tema de sua pesquisa de Mestrado em Física no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, órgão ligado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações.


Van Ted (PR) – escritora, estudiosa da Teoria dos Antigos Astronautas, Em especial, é ativista da versão da tese formulada pelo eminente pesquisador Zecharia Sitchin. Recentemente publicou seu primeiro livro, intitulado “ANUNNAKI: A Era dos Deuses” – agora em segunda edição pela Biblioteca da Revista UFO. A conferencista oferece grande quantidade de informações e uma importante reflexão sobre o que aconteceu no passado e como os extraterrestres nos influenciaram para que sejamos como somos hoje. Com grande atuação nas redes sociais, hoje a conferencista lidera a comunidade brasileira nos estudos dos Anunnakis, É consultora da Revista UFO.



Palestrante INTERNACIONAL:

Margherita Detomas (Itália) – escritora, jornalista profissional e diretora de cinema italiano. Frequentou as Escolas Superiores Linguísticas em Bolzano. Iniciou sua atividade no jornalismo em 1988 escrevendo para jornais e revistas nacionais italianas. Desde 1994 vem desenvolvendo trabalhos para programas televisivos e radiofônicos para a ilustre sede da RAI (Rádio e Televisão Italiana) – Bolzano, com espaço para sessão de crônicas e atualidades variadas.  Em 1996 publicou um guia histórico-artístico sobre a sua região “il Trentino”, por conta da editora “Quadratum” de Milão. Em 1999 sustentou em Roma o Exame Estadual para a qualificação de Jornalista Profissional e, desde 1999, é Conselheira da Ordem dos Jornalistas do Trentino Alto Adige. Foi autora, durante quatro anos, de uma coluna fixa semanal (do título “Lontano ma non troppo”) nos jornais do grupo “L’Adige”, “ La Cronaca di Verona” e  “Il Mattino”; colabora ainda hoje com revistas nacionais. Margherita Detomas é apaixonada por explorações, culturas e enigmas do passado, divulgou os resultados de suas pesquisas nas revistas especializadas e em congressos internacionais. Recentemente, publicou um livro dedicado a P. H. Fawcett e as suas últimas explorações na América Latina e ao longo dos grandes rios da Amazônia – obra intitulada “Citta Invisibili: L´Eldorado Di Percy H. Fawcett e Timoth Paterson” (2020). Com o Brasil tem uma ligação particular: em 1996, acompanhou em suas viagens o explorador e escritor britânico Timothy Paterson sobre as pegadas de seu tio-avô, o célebre explorador Percy Harrison Fawcett. Depois da morte de Paterson, ocorrida em 2004, publicou vários artigos na revista “Archeomisteri” e em outras revistas do setor, onde apresentou ao público italiano, com pormenores inéditos, a vida e as aventuras desses dois personagens famosos. É diretora artística e editorial da Editora “Viaggi nel Tempo”. É membro acadêmico do GISM (Gruppo Italiano Scrittori di Montagna). Realizou numerosos programas e documentários dedicando-se à direção de cinema, inclusive com inúmeros importantes prêmios ganhos, como: Moscow International Festival of Mountaineering and Adventure Films “Vertical” (festival): First Prize “Fiction Films” (Amore sulla Neve) – 2008 maio; Moscow International Festival of Mountaineering and Adventure Films “Vertical” (festival): Special Prize of the Organizing Committee (C´è Musica sulle Torri) – 2005 maio; Film Festival della Lessinia (festival): Prêmio do Júri (C´è Musica sulle Torri) – 2004 agosto. Graças ao seu afamado trabalho de pesquisas no Brasil, foi recentemente convidada a fazer parte do Instituto Histórico de Geografia de São Paulo

 

------------------------------------





TEMA DAS PALESTRAS


Ademar Gevaerd (PR):

Palestra 01: “UFO´s: O que as forças armadas brasileira ainda escondem?”

(20 de maio – sexta feira – 21h00)

Resumo – A Comissão Brasileira de Ufólogos, lançou, em 2004, a campanha “UFOS: Liberdade de Informações Já!” com o objetivo de pressionar o governo brasileiro a liberar informações sobre avistamentos de OVNIs. Tal seriedade resultou num marco histórico para a Ufologia Brasileira, pois no dia 20 de maio de 2005, a Força Aérea Brasileira convidou uma delegação de ilustres pesquisadores da Ufologia para dialogar sobre o assunto, onde obtiveram informações impressionantes! Em março de 2008, o brigadeiro José Carlos Pereira, da Força Aérea Brasileira, deu uma entrevista exclusiva ao Gevaerd, publicado na Revista UFO, na qual ele disse: "Todos os segredos ÓVNI deve ser divulgado". Tais lutas incessantes da Ufologia fez com que mais de 4.500 páginas oficiais das Forças Armadas Brasileiras fossem liberadas. Militares e governos de várias nações, além de cientistas e até oficiais do Vaticano, hoje admitem a realidade do fenômeno UFO. Sobretudo, ainda se escondem muita coisa! ...mas porque? O que mais eles escondem? O que isso significa para nós e como nossa vida mudará após as revelações finais?

Palestra 02“UFO´s na Amazônia”

(22 de maio – domingo – 10h00)

Resumo – Local de belezas inigualáveis e de mistérios por todos os lados, a Amazônia, por alguma razão muito intrigante, acumula uma fabulosa casuística ufológica que vai desde simples avistamentos até abduções. Seus moradores, com espantosa naturalidade, tratam do tema abertamente, mas sempre relacionando os fatos que vivem às suas crenças religiosas e folclóricas. O editor da Revista UFO, A. J. Gevaerd, que se dedica há décadas à pesquisa na belíssima região, relatará alguns dos mais fascinantes depoimentos que ouviu de ribeirinhos que visitou recentemente às margens do Rio Negro. Preparando-se para mais uma viagem à localidade, agora extensiva ao arquipélago fluvial de Anavilhanas.


Ataide Ferreira (MT):

Palestra 01“Impacto psicológico do fenômeno UFO na cultura ancestral”

(20 de maio – sexta feira – 21h00)

Resumo – Uma palestra envolvente que perambula pelos enigmas do Estado de Mato Grosso e retrata a importância dos mistérios que envolvem a região do Centro-Oeste, com apresentação de vestígios repletos de riquezas e detalhes envoltos ao âmbito da Ufologia, incluindo entre fatos arqueológicos e contos indígenas referindo-se a “seres que vieram das estrelas”. A conferencia, também, tratará de ocorrências que atravessam séculos, relatos impactantes inclusive perpetuados nos mitos, lendas e fortemente, camufladas e espalhadas, no folclore brasileiro, contadas até atualidade. Alusões também relatadas por outras diversas tradições brasileiras, descrições assemelhadas registradas nos desbravamentos dos bandeirantes, nas conversas de antigos povoados e fazendeiros, até mesmo nas distantes culturas nativas da Indonésia, Vietnã, Filipinas, Angola, Congo e Nova Guiné. Pesquisas indicam que seriam mensagens sobre seres extraterrestres que estariam registradas nas narrativas de nossos antepassados. Ou seriam apenas coincidentes criações de mentes férteis?

Palestra 02“Nas Profundezas do Psiquismo: segredos ocultos de você mesmo”

(22 de maio – domingo – 14h00)

Resumo – Há uma grande riqueza segredada nos bastidores da mente humana, fortuna esta ignorada nas batentes do dia-a-dia e muito despercebida dentre as corriqueiras circunstâncias da rotina. Do poder humano trata esta palestra. E de sua desmistificação. Poder humano, seu e meu, de transmutar “energias” das mais variadas maneiras e formas. Poder de conquistar saúde ou doença, poder de compreender a si e ao mundo que nos cerca e dar-lhe significado. Até mesmo o poder de fazer acontecerem os chamados fenômenos parapsicológicos. Uma atuação de abordagem científica, todavia, de fácil compreensão, expressada num linguajar acessível, explanando detalhes minuciosos e surpreendentes sobre as potencialidades segredadas no psiquismo e denunciadas nas estranhezas de algum insólito comportamento, das atitudes “involuntárias”, numa enigmática doença, numa cura “milagrosa”, enfim; psique influindo atuação em todos os contextos: comportamento, corpo, mente e matéria.


Fred Morsch (RS):

Palestra 01“De carona com as casuísticas Ufológicas brasileira”

(21 de maio – sábado – 20h30)

Resumo – O palestrante irá falar sobre os bastidores da elaboração, produção e suas atuações em campo que cominou no famoso programa “De Carona com os Óvnis”, uma série original do Canal History, um doc/factual de 13 episódios de 25min. A série foi gravada durante o ano de 2017 em lugares considerados hot spots ufológicos, do sul ao norte do Brasil, e estreou em dezembro de 2018. Foi a primeira série brasileira sobre o tema produzida para o canal. Suas aventuras ao desenrolar das gravações, fez averiguar e analisar centenas de milhares de casos de avistamentos de OVNIS em território brasileiro - muitos deles documentados por relatos, fotos, vídeos e testemunhos de quem viu ou até viveu de perto incríveis experiências. Diversas manifestações, abduções, ataques com luzes, desenhos enigmáticos em plantações (os chamados Crop Circles) e até mesmo avistamentos de Naves Mãe. Em todo o planeta os conhecidos Hot Spots (lugares frequentemente visitados por fenômenos extraterrestres) seguem colecionando manifestações e novos casos ufológicos. O Brasil é um grande celeiro de Hot Spots, geralmente lugares belíssimos do país, ou que se tornam roteiros para um turismo diferente. 


Glédson Borges (MT):

Palestra 01“A inter-relação da Psicologia, Parapsicologia e Ufologia”

(21 de maio – sábado – 15h00)

Resumo – Assuntos tidos como enigmáticos e misteriosos tem estimulado e fascinado a curiosidade de milhares de pessoas, os encantos por acontecimentos diferentes e estranhos está alavancando a atenção de milhares de pessoas afoitas por conhecimentos inusitados e maravilhadas pelo tema ufologia, parapsicologia e assuntos congêneres. O que se pode constatar é que o deslumbre pelos assuntos da possibilidade extraterrestre e fenômenos psíquicos para além do comum,  não se restringe apenas pela busca de conhecimentos respaldados por pesquisadores de tais temáticas, pois a jornada empolga viagens para além de sua comodidade, buscando inclusive encontrar o assunto “in loco”, em lugares que possam somar belezas naturais, recintos paradisíacos, regiões com bastantes casuísticas e longínquas da luz artificial ao qual possam, quem sabe, facilitar o testemunho presencial do fenômeno OVNI. A tendência psicológica por regiões enigmáticas tem atraído um grande público e fortalecido uma forte tendência de marketing. Pode-se arriscar a dizer que o sucesso do UFOTURISMO e/ou Turismo em lugares Enigmáticos depende em grande parte do contexto psicológico do público-alvo, a palestra envereda por uma melhor assimilação da dinâmica psicológica quanto ao assunto. Trata-se de uma palestra com uma área de conhecimento que dedica a investigar a tendência de comportamento de um ponto de vista mais técnico psicológico, usando-se de informações para entender quais são os fatores que cativa e influencia a tendência das pessoas – conhecer a mente do público-alvo é essencial para entender o “por que” a Ufologia e a Parapsicologia provoca tanto fascínio (!?).


Rony Vernet (RJ):

Palestra 01“Ufos em tribos indígenas do Acre”

(21 de maio – sábado – 16h00)

Resumo – Uma palestra que demonstrará, minuciosamente, que os nossos índios já foram, por diversas vezes, visitados por Objetos Voadores Não Identificados (OVNI´s), inclusive, tais acontecimentos foram alvos da atenção dos órgãos da FUNAI, Polícia Federal, Ministério Público Federal, além do interesse da ABIN, Exército e Governo do Acre. Todo esse interesse governamental aos acontecimentos ufológicos nas tribos indígenas do estado do Acre foram devidamente documentados. ...o palestrante vai apresentar mais de 100 paginas e 20 minutos de vídeos provenientes de documentos oficiais do governo brasileiro que mostram investigações de UFO´s em terras indígenas.


Van Ted (PR):

Palestra 01“Anunnaki: os criadores da humanidade por extraterrestres”

(21 de maio – sábado – 19h00)

Resumo – Como a humanidade surgiu?... A revelação sobre o que realmente aconteceu no passado da Terra e da humanidade será demonstrada nessa palestra – tendo como base os registros históricos e arqueológicos relegados pela história oficial. A palestra demonstrará que a nossa história foi corrompida e desarticulada por motivos escusos e, muitas vezes, insondáveis, e outras vezes com o objetivo muito claro de ser uma ferramenta de manobra popular.

Palestra 02“Os Anunnaki na Bíblia”

(22 de maio – sábado – 09h00)

Resumo – A origem da palavra Anunnaki vem da língua Suméria com o seguinte significado “aqueles que vieram do céu”. De acordo com o historiador Zecharia Sitchim, os Anunnaki seriam seres extraterrestres responsáveis pela criação da raça humana como vemos hoje. Apesar da polêmica de tais conclusões, há consenso, quase que generalizado, entre os historiadores e arqueólogos ao aceitarem que os Anunaki são considerados um grupo de divindades sumérias, acádias e babilônicas. Mas tais antiquíssimas divindades estão contidos na Bíblia? Saiba realmente quem é quem no texto sagrado. Uma palestra que irá analisar o Gênesis bíblico desde o surgimento de Adão até o patriarca Abrão e ver onde os Anunnaki se encaixam nessa história. O Dilúvio foi uma catástrofe natural ou um castigo divino? Sodoma, Gomorra e outras várias cidades destruídas por “Deus”. O que de fato aconteceu?


PALESTRANTE INTERNACIONAL


Margherita Detomas (Itália):

Palestra 01“Cidade Invisível: os mistérios envolvendo a Serra do Roncador e o desaparecimento do explorador britânico coronel Fawcett”

(21 de maio – sábado – 17h00)

Resumo – A palestrante é a maior especialista nas pesquisas “in loco” sobre os mistérios que envolvem o famoso explorador britânico conhecido mundialmente como coronel Percy H. Fawcett – um explorador da Real Artilharia Britânica que veio a região da Serra do Roncador/MT á procura de vestígios de estranhas ruinas antigas que ele acreditava serem dos descendentes do antigo povo da Atlantida. Margherita, uma jornalista investigativa, foi a fundo, durante décadas, vasculhando os estranhos relatos que envolvem a região de Barra do Garças e a enigmática Serra do Roncador, foi amiga pessoal do sublinho-neto do coronel Fawcett – senhor Thimite Peterson: pesquisador que residiu no Brasil para tentar desvendar os enigmas que envolviam o misterioso desaparecimento do seu tio-avô. Nesta palestra, a ilustre pesquisadora irá explanar detalhes sobre o misterioso desaparecimento do explorador, tendo como base importantes registros: desde patrimônios históricos, arqueológicos e culturais.  Uma palestra que aborda temáticas sobre a personalidade do explorador britânico, a busca de uma civilização perdida, desaparecimentos inesperados e misteriosos de outras expedições – incluindo sumiço repentino de pesquisadores que se aventuraram naquela enigmática região da Serra do Roncador, fazendo de todo contexto, um grandioso enigma que inspira curiosos do mundo inteiro, tornando-se um dos enigmas mais debatidos do século passado e que perpetua até hoje. Quase 90 anos depois de seu misterioso desaparecimento, novas revelações ainda surgem! ...sobre aquele que tornou o maior mito do século!





COMO PARTICIPAR? 
click AQUI


Venham prestigiar esse evento impar, numa região repleta de encantos e mistérios!

Informações:
(65) 9.9975 3436  -  AMPUP 
(66) 3401 9781 -  Centro de Atendimento ao Turista
(66) 99201 5703 -  Secretaria de Turismo

 

 

domingo, 27 de março de 2022

Em MATO GROSSO - entrevista com um homem que falou com um EXTRATERRESTRE / Barra do Garças-MT.

EXTRATERRESTRES
Quem são e o que fazem?
Autor: Marcos Dantas – ed. Kelps – (s/data)  – (pág, 83 a 98)



CASO: ADEMAR ALVES ATAIDE

Por conta da entrevista ser consideravelmente longa, este texto busca fazer um resumo do acontecido, conforme relatado pelo protagonista Ademar Alves, ocorrido em agosto de 1985, na época, com 38 anos.


O início: 

Ademar - “Bom, o que aconteceu foi o seguinte; ...eu era motorista de taxi e estava em meu ponto, juntamente com um camarada chamado Abdias. Depois, o telefone tocou, e como era a vez dele de corrida, o mesmo atendeu e depois saiu. Em seguida, chegou um casal, ele moreno, boa pinta. A mulher com o cabelo jogado no rosto... Eles queriam uma viagem para Alto Araguaia-MT. Eu aceitei e nós combinamos o preço, que ficou em vinte e sete mil cruzeiros, porque já era noite e a estrada estava ruim... Eram por volta das 22 horas. Aí ficou uma questão pendente e eles falaram que iam dar uma volta. Depois chegaram alguns colegas meus e eu avisei para eles que iria levar um casal para Alto Araguaia. Como o casal se ausentou, eu fiquei conversando com meus amigos. Depois como por encanto os dois reapareceram ao lado do meu carro. Foi ai que os meus amigos disseram: “Mas por onde eles passaram que nós não vimos?”. Depois, finalmente seguimos viagem.

Quando chegamos no Pontal do Araguaia o homem me perguntou com uma voz estranha: "você tem conhecimento de algumas coisas estranhas na região?”. E eu lhe respondi: “Mas que coisa estranha é essa?”. Eu pensei que fosse alguma coisa histórica, mas ele repetiu: “Você não tem ouvido falar de coisas estranhas na região?” E eu rebati: “Esta região é muito calma, ninguém vê falar em nada de errado por aqui”. Seguimos viagem. Mas ele continuou falando: “Hoje você vai ver e ouvir coisas que jamais sonhou que existisse”.

Entrevistador – Ele estava preparando a sua mente?
Ademar – Creio que sim. E foi naquele papo todo que ele me disse que eu iria ver uma nave.

Entrevistador – Ele falou de onde tinha vindo?
Ademar – Não, Não falou... Ele apenas ficou sentado no banco de trás e somente ele falava, a mulher não. Mas, os dois conversavam entre si numa linguagem que jamais consegui compreender. Depois chegamos num chapadão onde todo mundo conhece a região, à frente de Ponte Branca, foi aí que ele me falou que haveria um sinal pra nós. E eu teria que dar um primeiro sinal.

Entrevistador – Sinal? Pela luz do carro?  
Ademar – Isso. Depois eu dei o sinal. Foi mais na frente que a mulher me perguntou as horas e nesse momento eu vi que era uma mulher diferente. Foi aí que me deu aquele calafrio, passei a ter medo, mas, não dei demonstração. Quando chegamos mais adiante o homem tornou a me pedir para dar um novo sinal, e foi naquele momento que uma nave cruzou o nosso caminho. Então, eu fiz um outro determinado sinal que ele me mandou e aí a nave cruzou por cima da estrada. Era muito iluminado, ficou tão claro que eu podia encontrar uma agulha no chão.

Entrevistador – E o objeto, como era?
Ademar – Não sei precisar direito, mas era grande. Considero, mais ou menos, uns dez metros quadrados, e tinha muita luz em torno dela e piscando. Luzes de todas as cores. É como pegar dois pratos de louça bem fundos, fechar eles no centro e encher de luz no lado.

Entrevistador – Você notou algum campo de força ao redor do disco?
Ademar – Não! Mas, quando chegamos lá adiante num novo local, ele pediu para que eu parasse e continuasse o sinal, e aí a nave aproximou, e ficou a uns duzentos metros de nós. Estava na frente do carro. Ela ficou ali paradinha, suspensa no ar com suas luzes. Tranquilamente e sem nenhum ruído. Nenhum mesmo.

Entrevistador – Nesse momento que horas já eram?
Ademar – Isso foi, mais ou menos, na base das duas horas da madrugada. Foi aí que o casal desceu do carro e eu também desci normalmente. Na nave havia um espelho que não tinha reflexo de nada. Parece que esse espelho era para me identificar. Notei uma luizinha bem azul passou numa arvore próxima do carro, passou no carro, passou em nós, só que não tinha reflexo nenhum na nave. Parece que estávamos sendo identificados. Foi aí que eu perguntei ao homem o que significava tudo aquilo e ele me falou sobre a identificação. E a coisa ficou naquilo. O homem e a mulher começaram a se comunicar na língua deles, eu não entendia absolutamente nada. E isso demorou mais ou menos meia hora.

Entrevistador – Ele fez algum convite pra você?
Ademar – Sim, ele já tinha feito isso bem antes. Ele me disse que se eu quisesse iria embora com eles para o além. Ele só falou assim. Para mim não foi nada fácil tentar compreender tudo isso. E não compreendo.

Entrevistador – E o que aconteceu com os dois que estavam com você?
Ademar – Eu pensei comigo que se eu não fosse, eles iriam assim mesmo. Mas, de alguma forma, eles não embarcaram, parece que faltava alguma coisa. Foi aí que a nave deu aquele vôo como se fosse um vaga-lume, ficando bem alto. Não fez nenhum barulho, subiu ao alto e ficou parecendo uma estrela.

Entrevistador – Nesse interim, e os seus passageiros?
Ademar – Eles ficaram conversando na língua deles de maneira que eu não entendia nada. Foi aí que pedi para seguirmos viagem. Eu estava louco pra ir embora. (...) ...o homem era moreno e a mulher... a mulher não sei explicar. A caracteristica do homem era normal, era um homem simpático. Enfim, eu queria ir embora e chamei para seguirmos viagem. A mulher não queria ir. Era queria ficar por todos os meios. Mas, depois de muita insistência, ela aceitou. Eu queria ir embora e só nisso que eu pensava. 

Entrevistador – Mas, a mulher queria embarcar na nave?
Ademar – Eu não sabia mais qual era o intuito daqueles dois a partir daquele momento. Em seguida, depois de muita insistência, retornamos para o carro e seguimos para Alto Araguaia. Eles me relataram que estavam em busca de duas mulheres. Quando chegamos em Alto Araguaia, fomos para um hotel. Então encostei o carro ali e era cerca de três horas da manhã, depois entramos no hotel. No outro dia acordei as nove horas da manhã e eu pensei “acho que estou livre agora”.

Entrevistador – Os dois dormiram juntos?
Ademar – Não prestei atenção. Eu sei que peguei um quarto lá no fundo e apaguei por completo. (...) ...quando acordei já pensei “Bom, agora eu vou voltar para o meu destino”. Quando eu cheguei na porta do meu carro, olha quem estava lá!?

Entrevistador – Os dois?
Ademar – Só ele! Só o homem. (...) Eu estava muito sujo, pois era o mês de agosto e de poeira. Ele estava totalmente limpinho. (...) ...eu estava muito abalado. Havia terra em cima do painel do meu carro, mas o homem estava de calças jeans, uma camiseta azul por dentro e uma jaqueta jeans, a mesma roupa - impecável.

Entrevistador – Ele tinha alguma bolsa ou coisa assim?
Ademar – Sim, tinha uma bolsa de couro pequena debaixo do braço, como se fossem documentos. Além disso, não tinha mais nada de bagagem.

Entrevistador – A voz deles era igual a nossa ou era diferente?
Ademar – Era muito confusa, ...era mecanizada, quando eles conversavam entre si. É exatamente isso que eu não entendi. O som da voz deles saia como se estivessem falando com uma caixa de som. Eletrônica, mais ou menos assim. ...então, naquele momento que eu pensei que estava livre deles, ele me disse para leva-lo para o lado do rio. Eu já sabia que ali tinha um rio, mas e ele, como sabia? ...quando lá chegamos, ele me pediu para perguntar as lavadeiras, que ali se encontravam, se elas tinham visto duas mulheres por ali. As lavadeiras disseram que não. ...mais adiante, onde estavam outras lavadeiras, novamente ele me pediu para perguntar (as mulheres não entendiam o jeito que ele falava), quando perguntei, essas outras mulheres responderam que tinham vistos duas moças dois dias antes. Depois disso, fomos embora e voltamos para a porta do hotel e eu pensei comigo mesmo “agora é a hora de nosso acerto”. Mas, quando íamos acertar, chegou um colega meu de profissão, daquele município. Um homem que fala demais. Ele foi me contar que durante a madrugada tinha visto um disco-voador pairando por sobre os céus daquela região. O cara era do tipo esparolado, que chega conversando o que vem na cabeça. Mal sabia ele que estava impedindo o meu acerto com o extraterrestre.

Entrevistador – E este seu amigo tinha realmente visto a nave?
Ademar – Acho que sim. ...o horário dele coincidia com o meu, que era aproximadamente três horas da manhã. (...) Essa nave circundou toda a região e foi sentido a Barra do Garças. (...) Depois que livramos daquele falador, finalmente fomos fazer o acerto. (...) Ele pegou imediatamente a sua bolsinha e a abriu, revelando-me em que em seu interior haviam dezenas e dezenas de notas grandes. O maior valor da época. E eram todas notas novinhas. Muito novas. Eu confesso que achei muito estranho (risos).

Entrevistador – E depois?
Ademar – Nós havíamos combinado que o preço da corrida seria de vinte e sete mil cruzeiros, mas, ele acabou me dando trinta mil cruzeiros e não quis receber o troco.

Entrevistador – Ele havia pechinchado?
Ademar – Não, pelo contrário. Eu é que lhe disse que cobraria vinte e sete, mas ele acabou pagando os trinta. Achei muito bom por ter recebido aquele extrazinho. Mas, depois eu notei uma grande diferença no veículo. Quando partimos de Barra do Garças e nos dirigimos para Alto Araguaia, eu tinha enchido o meu tanque. Depois do contato com a nave extraterrestre e depois que cheguei em Alto Araguaia, notei que o meu tanque estava quase vazio, e isso era muito difícil de acreditar, porque não tinha lógica. O trajeto era pouco para ter gasto tanto combustível.

Entrevistador – E a mulher? O que foi feito dela?
Ademar – A ultima vez que vi ela foi na madrugada, quando do contato com a nave. Depois que ela entrou para o hotel não a vi mais.

Entrevistador – Ele não comentou sobre ela depois?
Ademar – Não! Não comentou e eu também não perguntei.

Ataide Ferreira (AMPUP) e Ademar Alves


Sobre o relato: o livro continua a decorrer a história do senhor Ademar Alves de Ataide, porém, para não delongar o extenso texto, concluiremos esse transcrito por aqui... O restante do conteúdo deste acontecimento pode ser conseguido por intermédio da AMPUP ou pelo próprio protagonista que, até atualidade (2022), ainda reside na cidade de Barra do Garças – MT.

Ataide Ferreira e o autor Marcos Dantas 


Transcrição;
Ataide Ferreira – psicólogo, escritor, membro da Comissão Brasileira de Ufologia (CBU), consultor da Revista UFO, presidente da AMPUP.


terça-feira, 22 de março de 2022

Mato Grosso no panorama dos Eventos de Ufologia pós-pandemia - março de 2022, Curitiba/PR

Após um longo tempo de reclusão por consequência da pandemia, os grandiosos e tão requisitados eventos presenciais da Ufologia foram forçados a ficarem estagnados, minimizando e, até mesmo, esvaindo a inteiração direta entre os expressivos nomes no assunto.

Sobretudo, a expectativa ao retorno dos encontros presenciais de Ufologia, entusiasmou a comunidade ufológica, resgatando vigor e a empolgação dos simpatizantes e entusiastas, tendo em vista, a retomada do primeiro Congresso Ufológico pós-pandemia, ou seja, após tanto tempo parado, os Eventos de Ufologia ressurgiram com força total !!! Inúmeras pessoas foram prestigiar o XXV Congresso Brasileiro de Ufologia, realizado na cidade de Curitiba/PR, nas datas 18 á 20 de março de 2022 – Evento da Revista UFO.

Foram mais de 13 (treze) conferencistas, nacionais e internacionais, e as abordagens que envolve a Ufologia Mato-grossense não ficou de fora desta retomada, pois o presidente da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP) – Ataide Ferreira –foi um dos convidados a explanar sobre a rica casuística ufológica que abrange todo o Estado de Mato Grosso, em especial, nas regiões de Chapada dos Guimarães (65 km da capital) e Barra do Garças (516 km).

Portanto, pode-se dizer, de certa forma, que Mato Grosso está, mais uma vez, presente nos importantes e imponentes eventos de Ufologia, levando ao público brasileiro o que há de mais significativo e atual nos acontecimentos Ufológicos do Centro-Oeste.

O tema da ufologia mato-grossense, que foi abordado no evento de Curitiba, ficou estampado sob o título “O impacto Psicológico do fenômeno UFO na cultura ancestral”, assunto que adentrou em vestígios e um rico acervo no âmbito ufológico, encontrados em regiões do centro-oeste brasileiro, sejam nos contos indígenas, relatos de antigos fazendeiros, inscrições rupestres, artefatos primitivos, registros locais estampados em antiquíssimas publicações, o drama psicológico das testemunhas, entre outros.

Os eventos da Revista UFO são sempre requisitados pelo público, tendo em vista a alta qualidade dos conferencistas e da organização. Foram mais de 400 inscritos, apesar das grandes dificuldades e apreensão para a realização deste primeiro Evento pós-pandemia.

Vale ressaltar que o Evento foi esplendido, maravilhoso, fantástico !!! ...a inteiração entre palestrantes e o público são os ápices mais sublimes destes momentos, foram muitos conhecimentos trocados, muitas amizades reforçadas, muitos planos elaborados, muitas expectativas levantadas, tudo visando a perpetuação desses momentos mágicos e de conhecimentos inigualáveis. Os conferencistas escalados são altamente capacitados e preparados, detentores de conhecimentos avançados sobre os temas abordados, o que os diferenciam da maioria.

O representante da Ufologia mato-grossense se deslumbrava com os conhecimentos adquiridos nesta intensa troca de informações e amizades, o retorno do pesquisador da AMPUP para o Estado de Mato Grosso trouxe em sua bagagem um acervo gigantesco de novidades e projetos, tudo visando direcioná-los aos membros da AMPUP. 

Portanto, o primeiro congresso pós-pandemia (XXV Congresso Brasileiro de Ufologia) enalteceu a empolgação do publico presente e a certeza de que “Valeu a Pena”. Um surpreendente encontro, num ambiente altamente propício para aprender e discutir a temática com grandes pesquisadores, garantindo a certeza de que o fenômeno UFO é uma realidade.


Autor:
Ataide Ferreira - psicólogo, escritor, estudioso sobre as estranhezas psíquicas/parapsicologia, consultor da Revista UFO, membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU), presidente da AMPUP.